Arquivado em SEO

Patentes de busca ajudam a entender o SEO

Ainda está rolando um bate boca entre Google e Microsoft sobre as patentes relacionadas ao sistema Android. Um dos impactos foi a compra da Motorola (mobile), pois ela também tem inúmeras patentes relacionadas a sistemas móveis. As Patentes são importante para o mercado, pois elas servem de proteção e estimulo a pesquisa e desenvolvimento. Claro que realmente podem ocorrer abusos como patentes ridículas e sem fundamento, mas o importante da história é entender que empresas como o Google criam diversas patentes para suas buscas e sobre novos recursos tanto de navegação como de decisão de rankeamento.

Uma boa maneira de se aprofundar no estudo de SEO é tentar entender o que estas patentes podem nos ensinar sobre a ótica da busca. Por exemplo, acho que todos os profissionais que trabalham com SEO já devem ter lido The Anatomy of a Large-Scale Hypertextual Web Search Engine. Saber coisas como que a patente original do PageRank deixará de ser exclusiva no fim deste ano pode de repente ser útil. Saber estes fatos pode representar um melhor entendimento não apenas em SEO mas até em links patrocinados. Mas qual será o processo para aproveitar o conhecimento das patentes?

Uma recomendação de leitura é o SEO by The Sea do Bill Slawski. O blog do Bill é especializado em patentes e whitepapers. Lá você pode conferir a visão dele sobre os novos papers lançados e até atualizações de patentes antigas. Ele faz quase que um resumo se você não quiser se aprofundar. Agora se você quer ir direto a fonte, ai vão algumas sugestões.

O departamento de patentes dos EUA tem uma ferramenta de busca eficiente. Basta procurar um termo e ele irá varrer o banco de dados para recuperar o material que ele considera relevante. Só que agir assim é como acertar um tiro no escuro. Um macete é usar o campo assignee name como o termo Google ou se preferir “Google Inc“. Ele irá mostrar as patentes das mais novas para as mais antigas o que é uma grande vantagem. Assim você fica sabendo as novidades do Google. Mas nem todas a patentes são feitas pelo Google. Tem uma patente do Larry Page que explica a pontuação de documentos por links, que não é atribuída ao Google. É essencial ler uma patente desta, mas talvez você não encontrasse facilmente. Outro ponto é que empresas como IBM tem patentes relacionadas a PageRank por mais que você não imaginasse. Encontrar patentes úteis é muitas vezes trabalho de mineração.

Outra dica de consulta é o Google Patents (dê algumas atualizações de página inicial para ver algumas patentes interessantes). Lá existem mais de 7 milhões de patentes e a busca dele é muito mais amigável, fora a página de apresentação das patentes que é uma maravilha comparada com a primeira sugestão. Fora que tem o recurso de mostrar as patentes que foram citadas em um documento e quais as patentes que citaram a que você lê, assim você encontra outras relacionadas. A busca avançada também é útil. Como você viu na busca do departamento de patentes, eles tem também o campo de assignee para ir direto para as empresas.

Agora se você achou difícil entender estes textos complexos das patentes, uma alternativa razoável é ver as figuras. Não estou brincando não. Quando perguntam, “não entendeu, quer que desenhe?” é por que visualmente as patentes são mais fáceis de serem entendidas. Alguma patentes fazem todo o sentido quando vemos as imagens relacionadas. Procure por “drawing” que é onde você tem acesso as imagens. Agora é se preparar, pois tem muito texto pela frente.

Comentários (12)

SEO para concorrentes

Um trabalho de SEO envolve entrar a fundo na alma da empresa do seu cliente. Entender o modelo de negócio, ter acesso a estratégias antes mesmo de serem lançadas, saber quais os pontos fortes e fracos, descobrir oportunidades únicas. É inegável o aprendizado conseguido durante um projeto de SEO. Só que este artigo não é para mostrar a importância de estar envolvido na projeto de um cliente, mas sobre como se relacionar com estas informações e o possível atendimento de concorrentes.

Antes de continuar, deixo claro que sou contra o atendimento de concorrentes simultaneamente, mas minha posição não é necessariamente a correta. Por isto mesmo estou escrevendo o artigo para levantar os prós e os contras e saber o que as pessoas acham sobre isto.

Atender clientes do mesmo segmento tem várias vantagens. Os acertos e os erros do primeiro projeto podem facilitar o trabalho feito no projeto seguinte. Uma agência pode usar os mesmos funcionários para tocar o projeto. A curva de aprendizagem é praticamente zero. Além de não precisar rodar os relatórios mais de uma vez, ainda teria os dados reais do concorrente.

Entre as desvantagens em não atender concorrentes existe a financeira. Se você pode vender a mesma coisa para mais de uma pessoa lucra muito mais. Outra desvantagem é não ter que explicar coisas como justificar para seu cliente durante um projeto por que ele aparece em 7º e o concorrente em 2º? A pior de todas é o cliente descobrir durante o projeto sobre o atendimento ao cliente.

Agora no caso de um cliente parar um projeto ou não renovar com a consultoria de SEO, nada impede o atendimento de um concorrente. Afinal ele que optou por não continuar. O que pode ser feito entre as partes é definir um tempo de espera até ter o atendimento a um concorrente.

O cliente também tem direito de escolha, claro, apesar de eu achar estranho. Se os concorrentes sabem que são atendidos pela mesma empresa e não se importam com isso, não tem o que fazer. O importante é a transparência. E você, o que acha disto?

Comentários (26)

Campanha eleitoral permite SEO

A recente guerra sobre a regulamentação do marketing político na internet independente do final sempre teve uma certeza. O SEO é uma estatégia que pode ser usada para ajudar um político em sua campanha eleitoral. Diferente dos links patrocinados que são pagos e considerados publicidade, o SEO pode ser usada normalmente como ferramenta de propaganda. Mas as vantagens sobre os outros meios não param por aí. O discurso político sempre foi muito voltado apenas para ações pontuais como distribuição de camisetas e brindes. Com a campanha do Obama para a presidência dos Estados Unidos, a história da política mudou significativamente pois agora todos buscam uma campanha online de social media parecida com ela. Isto exige mais complexidade e estratégia.

Uma das vantagens de SEO é que mesmo sem contar com grandes verbas que apenas grandes políticos podem arcar, com SEO é possível que qualquer político mesmo um deputado estadual ou até um vereador alcance resultados sem investimentos irreais. Outra vantagem é até aqueles políticos que tem poucos segundos para falar na TV podem usar a web para expandir sua voz e idéias e podendo mostrar o seu discurso. Agora imagine um político que não aparece no Google com seu slogan? E pior, imagine outro candidato aparecendo em seu lugar? Acreditem mas tem candidatos no Brasil que nem pelo nome aparecem.

SEO não é apenas para os candidatos. O marketing político online deve fazer parte também dos partidos políticos. Eles podem criar estratégias para ajudar todos os seus candidatos a terem melhores resultados no Google. Isto normalmente é ignorado e pode ser um grande diferencial com a grande representatividade que os partidos tem. Se um candidato percebe que o seu partido não faz SEO, ele pode exigir para sua campanha eleitoral e conseguir mais diferencial ainda. O impacto pode ser não só no país, mas segmentados por estado ou município.

Os eleitores usam hoje a web como nunca foi antes. Ignorar o canal só vai abrir espaço para outros e em uma campanha eleitoral não tem espaço para deixar furo. O SEO aparece como uma forma de vencer a concorrência pelas palavras que os eleitores irão procurar para chegar a uma decisão de voto. Se você o político não aparece, como os eleitores  vão votar nele? O político honesto precisa ser encontrado.

Comentários (24)

A evolução do SEO: SEO não está morto, mas se transformando

O objetivo do Google e de qualquer site de busca é claramente ter resultados interessantes para seus usuários. Se os resultados passarem uma experiência ruim para o ele, a confiança na ferramenta diminui e ele ira tentar uma ferramenta diferente, que se tiver resultados melhores, passará a ser usada. Outra possibilidade é o surgimento de uma ferramenta nova ou melhorada que apresente resultados mais eficientes e com isto conseguirá tirar a fidelidade das ferramentas atuais mais usadas. Isto aconteceu diversas vezes ao longo do tempo como com o Cadê, o Altavista, o Yahoo! e, quem sabe um dia, até o Google não pode passar por isto?

O diferencial entre as diferentes ferramentas é a capacidade que cada uma tem de exibir resultados simples e relevantes para todo tipo de consulta. E melhorá-los, claro! Se ficar parado, corre o risco de ser passado. Então é necessário muito estudo, pesquisa e testes para criar novos sistemas (algoritmos) capazes de automatizar este trabalho. Grande parte desta inteligência é oculta, pois se fossem divulgadas, os concorrentes poderiam copiá-las e acabaria sendo commodity (pouca diferença entre eles). Só que com a observação dos resultados e testes constantes, pessoas conseguem descobrir algum dos fatores que podem fazer as páginas serem melhor entendidas pelos robôs de busca e consequentemente melhorar suas posições nos resultados.

E o que acontece quando uma técnica é descoberta? Ela vai sendo usada pelas pessoas e se torna uma técnica de SEO. Isto não é errado, porém algumas pessoas costumam abusar deste conhecimento. Ao invés de usá-los para uma melhor experiência do usuário, tentam tirar proveito apenas para melhorar seus posicionamentos. Um exemplo seria a meta tag keyword. Antigamente ela detinha um peso e importância razoável. Você colocava nela as palavras-chave que você considerava relacionadas à sua página e a ferramenta de busca usava esta informação para relacionar a sua página a procura por estes termos. Percebendo isto, alguns profissionais resolviam colocar palavras não relacionadas ao conteúdo da página, pois uma página sobre um produto desconhecido das pessoas como um anel que dá vida eterna, não é algo que tem muitas procuras, então ele coloca palavras muito procuradas como MP3 apenas com o intuito de se posicionar bem com esta palavra e atrair visitantes que, quem sabe, se interessariam por este anel. A consequência seria que resultados não relevantes começariam a aparecer na busca, as pessoas tentariam outras ferramentas e haveria uma perda na participação da ferramenta no mercado. Então o que acontece? As ferramentas decidem modificar seus algoritmos para evitar um abuso como este e diminuem a força daquele fator de importância. Resultado: a meta tag keyword fica com uma força muito menor, se não, sem força nenhuma. O próprio Google já anunciou que não considera esta meta tag. E aí que as ferramentas vão evoluindo e se defendendo dos abusos. O Futuro do SEO é baseado na evolução e aprendizados do passado.

Surgem também novos elementos na equação de SEO, como mapas, vídeos, fotos e vários outros. Isto não significa também que o SEO irá morrer, mas que será necessário um novo conhecimento para conseguir colocar estes outros elementos também bem posicionados. E não espere que vá parar por aí. Certamente entraram novos fatores que talvez ainda nem existam. E você precisará continuar estudando. O SEO ainda vai existir por um bom tempo.

Comentários (11)

Otimização para blogs – apresentação no Campus Party

Tive a oportunidade de participar este ano do Campus Party e levei meus filhos comigo. O saldo foi positivo e foi a chance de conversar com muita gente que, pela correria, nem sempre temos tempo nem oportunidade. Para os meus filhos, acho que foi uma experiência que eles não esquecerão. Além do contato com tecnologias, culturas e experiências diferentes, fizeram muitas amizades e observações muito interessantes. Uma foi que a barra de busca da home do Yahoo parece um cigarro. Como criança consegue notar este tipo de coisa?

Participei também com uma palestra na área do campus blogs sobre otimização para blogs. Apesar de não ter nenhum formulário de feedback, achei que o povo gostou do resultado. Prometi disponibilizar a apresentação e ela está aqui.

Esta apresentação pode ser baixada também no site do slideshare. Os códigos que estão lá podem ser copiados e colados.  Algumas pessoas na apresentação perguntaram, então aproveito para informar que teremos curso de SEO no Rio em fevereiro e em São Paulo em março.

Bom, agora que acabou a correira do Campus Party não tenho muita desculpa, então espero ver mais posts aqui no site. Tenho bons planos para fevereiro. :)

Comentários (9)

Cresça e apareça. Apareci no jornal O Dia

Com o título de capa do Jornal o Dia como “Cresça e Apareça”, saiu uma interessante reportagem sobre SEO. É sobre como pequenas empresas e blogueiros aproveitam a força do SEO para competir com grandes empresas nos resultados do Google. Gostei bastante da reportagem e fiquei feliz que não apareceu nada que eu não tivesse dito como é comum nas materias. Parabéns ao Marlos também pela matéria que esta muito bem escrita. Veja uma foto tirada com meu celular.

Capa do Jornal O Dia sobre SEO

Na edição impressa ainda tem as fotos minha e do Edney. Para mim, é legal ver os jornais finalmente tratando de um assunto tão importante.

Aproveitando, ainda vou escrever um post sobre o lançamento do livro que foi muito especial para mim. Obrigado a todos os grandes amigos que compareceram.

Comentários (15)

próxima página