Arquivado em Indexação

Dicas SEO para blogs do Google

Aprender sobre SEO sempre bom, ainda mais quando as dicas vem direto do Google. Matt Cutts que é funcionário do Google, apresentou a palestra Whitehat SEO tips for bloggers no WordCamp 2007. Obviamente as dicas são para WordPress, mas servem para qualquer site. Ele afirmou que as dicas foram conferidas pela equipe de PageRank do Google. Ele disponibilizou a apresentação para download e ainda tem um vídeo com a apresentação completa.

Para quem não tiver paciência para ver o vídeo todo ou não sabe inglês, compilei os principais pontos falados.

  • O Google não odeia sites. Odeia spammers.
  • Plugins recomendados
  • Não coloque seu blog direto na raiz do site. Se um dia você quiser usar o domínio para qualquer outra coisa . Ele diz que além disto, você ainda pode ganhar alguns links extras para cada um deles.
  • Nomeie seu diretório “blog” e não “WordPress”. Vai que surge outra ferramenta melhor de blogs?
  • Aprenda a trabalhar com palavras-chave. Long Tail.
  • Categorias servem como boas palavras-chave.
  • Separador de URL: Hífen (conhecido tracinho “-”).
  • Não existe melhor extensão. Só não use “.exe”.
  • Use ALT tags.
  • Evite URLs longas ou com vários subdiretórios.
  • Não se preocupe tanto com o conteúdo duplicado do WordPress.
  • Ao mover um domínio ou página, use redirect 301.
  • Aproveite o Google Webmaster, o Google Analytics.
  • O Google realmente não esquenta com meta tag keyword.
  • Para aparecer no Google News, o blog deve ter mais de um autor.
  • Um bom permalink: “/%postname%/” (Eu uso assim =)
  • Confirmado que o título da página é a base do SEO.
  • Seja criativo em um idéia “linkável” (controvérsia, top 10…).

Era para ser um resumo, mas acho que vale a pena do tamanho que ficou. Tentei não incluir o que não fosse tão SEO assim, afinal o vídeo está disponível para quem quiser ver na íntegra. Agora mesmo sendo dicas direto do Google use o bom senso e filtre o que você não achar que não funciona para você. No meu caso, prefiro que o meu blog seja na raiz para facilitar a vida dos meus visitantes. Não ligo para este links há mais. Outro exemplo é que o Matt recomenda o SEO Title mas mesmo assim ele usa o wp_title com eu também uso. Outro ponto é que segundo ele, eu deveria ter criado este post como os “18 dicas incríveis de SEO”. Prefiro títulos descritivos. :)

Comentários (32)

Quanto tempo o Google demora para indexar

Esta é uma experiência para medir o tempo que o Google demora para indexar uma página. Depois de indexado, as informações serão postadas e compartilhado com todos. 

Este é um post de teste para medir quanto tempo o Google vai demorar para indexar e exibir este post em sua página de resultados (SERP). O Google indexa com bastante rapidez, mas dizem que o Yahoo! é mais rápido do que ele. Esse é o objetivo do teste: analisar os detalhes que envolvem a indexação e disponibilizar para todos o resultado. Se quiser participar, fique à vontade. Vou testar também o tempo de indexação no Yahoo! e MSN. Depois de coletados os resultados atualizo o post.

  • Momento que o post foi ao ar: 15h32
  • Tempo para aparecer no Google Blog: 15h35
  • Tempo para aparecer no Google: home* – 16h17, post –  21h37**
  • Tempo para aparecer no Yahoo!: dia 2, 11h25
  • Tempo para aparecer no Live: …

Observações gerais:
* Apesar do Google indexar o conteúdo da home rapidamente, o recurso cache ainda não exibia o conteúdo novo. Provalmente ele é atualizado por um sistema diferente. Às 16h59, ele pulou do 10º resultado para a segunda posição.

** Este é a data do cache do Google, mas ele não exibiu a página neste horário, apenas no dia 2.

Ao procurar pelo título do post, o Google sugere: “Você quis dizer: Quanto tempo o Google demora para anexar” e o Live em inglês sugere: “Were you looking for Quanto tempo o Google demora para indexer ?”

Comentários (114)

Cada página tem seu PageRank

É muito comum as pessoas afirmarem que seus sites tem PageRank X ou Y. Não deixa de ser uma verdade, afinal se você procura o PageRank do domínio marketing de busca, o Google informa que é 4 por exemplo. O que acontece é que este PageRank é apenas da home do site. Você sabia que cada página do seu site tem um PageRank diferente?

O Google contabiliza o PageRank por página. A home do web site é a página mais importante dele e é a que normalmente recebe a maior parte dos links, por isto ela tende a ter um PageRank maior. Um exemplo é o PageRank da página sobre SEO. Atualmente ele está com PageRank 3. Já a página do atenSiosamente está com o PR zero. Claro que vocês sabem que isto não é para sempre. Só o fato de este post colocar links para estas páginas o PageRank delas vai ser influenciado. Então se alguém no futuro (claro né) estiver lendo este artigo, os PageRanks poderão estar diferentes.

O que importa é entender que cada página do seu site ou blog deve ser única, pois ela terá um PageRank único. Outro ponto é que o PageRank não é tudo, por isto relaxe e curta seu site. O próprio Matt Cutts que trabalha no Google afirma que ele é apenas um entre centenas de fatores de posicionamento de uma página. Ah, importante: PageRank se escreve tudo junto.

Comentários (16)

SEO e Flash – dicas para tornar o site visível

O uso de Flash em sites é uma realidade e seu uso é muito importante em projetos web. A maior parte dos banners hoje em dia, o player do YouTube e muitos aplicativos web utilizam a tecnologia do Adobe Flash (para mim é estranho não usar Macromedia). Apesar de todas estas vantagens, você precisa saber que ele não combina bem com o Google. O principal motivo é que o Googlebot, robô que indexa as páginas do Google, não consegue capturar perfeitamente o conteúdo do Flash tal como o conteúdo de uma página em HTML. Na estratégia SEO, muitos profissionais não recomendam o uso do Flash. Eu já penso que ele precisa ser usado no lugar certo e na medida certa. Depois de ver um artigo do Google Webmaster, resolvi então escrever sobre o que pode ser feito para o Flash ser indexado corretamente.

O primeiro passo é saber quais partes do site usarão Flash. Algumas vezes, os webdesigners optam por criar sites inteiros em Flash. Neste caso você tem duas opções. A primeira é criar uma versão alternativa do site em HTML. Na página incial que carrega o Flash, basta colocar o link para a versão HTML e otimizá-la normalmente. Eu não constumo recomendar splash screen, que é aquela famosa janela que tem um botão para entrar no site como se você não tivesse entrado nele ainda, porém no caso do Flash, pode ser aberta uma excepção. Recomendo também deixar a página que carrega o swf excluída do robôs usando o robots.txt ou uma meta de exclusão, afinal, isto pode ser considerado conteúdo duplicado. Já no caso do site inteiro ser um aplicativo ou um projeto visual, não há razão para criar uma versão em HTML. O que você deve fazer é aplicar SEO no HTML que chama o Flash. Por exemplo, escreva títulos de página descritivos e inclua uma meta description. É importante lembrar que para SEO, conteúdo é rei, então na hora de escolher como exibir conteúdo, prefira HTML.

Se o site não usa Flash em tudo, ele será indexado normalmente sem problemas com excessão do conteúdo do Flash. Se mesmo assim você quer que esta parte em Flash seja “lida” por robôs de busca, você pode usar técnicas que exibem conteúdo no lugar do Flash. São as técnicas que permitem que quem não tem Flash ou para que um robô de busca consiga enxergar uma versão alternativa em HTML. A técnica recomendada é a sIFR. Ela usa javascript e é relativamente simples de implementar. Com isto os robôs vão poder entender melhor as suas páginas.

O Flash é muito poderoso, porém ele tem o seu papel. Me desculpem os defensores fervorosos do Flash, mas tal como é possível montar um site inteiro com conteúdo em javascript ou em AJAX, o uso deles deve ser feito com bom senso. Pense que seu visitante pode querer gravar no favoritos uma página interna do site e não conseguir isto pode frustá-lo. Pense sempre no seu visitante e no objetivo do seu site. SEO é pensar mais no usuário do que nos sites de busca.

Comentários (26)

Google Bomb do Lula retorna

Depois da polêmica do Lula ter sido vaiado na abertura do Pan, resolvi testar o Google Bomb do Maior Mentiroso do Brasil para ver qual resultado aparecia, já que as visitas por este termo aumentaram. Vi que ele está apontando para a página da Biografia do Presidente Lula na Wikipédia novamente. Quem acompanha o blog deve lembrar que acidentalmente eu derrubei este Google Bomb, mas depois de um tempo tudo voltou ao normal.

Já tinha noticiado que o Google tinha removido a força do Google Bomb. Um mês depois, tive a impressão que ele tinha aumentado de novo a força, mas achei que tinha sido apenas um ajuste e nem testei outros Bombs conhecidos. Agora testando percebi que o Google Bomb ainda existe e funciona.

Comentários (2)

Googlebot não perdoa

Banco do Brasil TestandoTestando, testando. =)

Me admira que sejam investidos milhões em um site de alta segurança como um internet banking e aconteça uma coisa dessas. Ainda mais o Banco do Brasil.

Todo mundo sabe que internet banking tem todo um ‘fear factor’ relacionado ao phishing scam. E você? Colocaria sua senha em um site com o título “Testando”?

Vejam a print que comprova. Os robôs de busca não perdoam. Deu mole, ele viu… está no ar. Será que não tem um servidor de desenvolvimento ou de homologação?

Comentários (24)

próxima página