Article Spinning – rescreevendo artigos para SEO

O article spinning não é algo novo, porém graças ao SEO ele tem sido bastante utilizado. Ele consiste em reescrever um artigo original com palavras ou frases diferentes, porém mantendo o sentido do texto. Na teoria, como o artigo é “diferente”, as ferramentas de busca não “punirão” a página por não ser conteúdo duplicado. Algumas vezes o criador deste novo artigo prefere quebrar o original em partes para poder rankear com palavras-chave de long tail também.

Resolvi escrever sobre isto depois que vi um tweet do Predro Dias, porém quando terminei de escrever não achei mais para citar, mas achei a discussão gerada no fórum do Google.

As vantagens do article spinning são que você poder usar variações do termo para rankear em buscas diferentes, gerando dezenas ou até centenas de páginas. Este novos conteúdos são usados em outros sites além do original e também e diretórios de artigos. Como são sites diferentes com conteúdos diferentes, pode ser que vários resultados de um mesmo autor apareçam para uma mesma busca. A maior desvantagem é que muitas vezes os artigos gerados são de material que outra pessoa tem o copyright. Em resumo, isto e roubo de conteúdo. Outra desvantagem é que o conteúdo gerado nem sempre tem a qualidade do original contendo muitas vezes com “encheção de lingüiça”.

Fazer um article spinning pode ser por software ou por pessoas. Na teoria, a vantagem dos softwares é que eles poderiam reescrever centenas de artigos em pouco tempo, mas nem sempre o conteúdo gerado será de qualidade. O article spinning feito manualmente por pessoas é o mais comum. Já existem profissionais que trabalham apenas com isto. Inclusive em sites de freelancers existem ofertas de article spinning. Um ponto importante é que a tradução de um texto entre idiomas não é considerada article spinning.

A dica é que na dúvida, produza conteúdo original. Experiências e sua visão sobre o assunto serão muito mais enriquecedoras para o leitor do que copiar artigos. Só que isto não invalida o article spinning, pois ele ainda mostra resultados. Minha sugestão é que você poderia, por exemplo, usar sua experiência em testes sobre article spinnig, entrevistar um article spinner, testar um software que faz isto ou pense uma abordagem inovadora sobre o assunto. A internet agradece.

Comentários (13)

Feliz 2011 com muito SEO

Este post é para agradecer pelo grande ano de 2010. Acho que todos da área de marketing de busca não tem do que reclamar. Mais tempo para projetos desafiadores e menos para provar que funciona. O mercado está amadurecendo e está ficando mais competitivo. Isto é ótimo.

Passei este ano com dois focos. Estudo e Agência. No estudo, a parte principal foi a de testes. Na minha opinião, testar é a melhor maneira de se aperfeiçoar em SEO. E na agência, focamos muito nos clientes. Já atendemos clientes em diversos ramos como canais de tv, jornais, e-commerce, comparadores de preço, empresas educacionais, editoras, imóveis e várias outros tipos de empresas. Não atendemos apenas SEO, mas várias facetas como link building ou criação de conteúdo. Cliente satisfeito é o melhor resultado de qualquer projeto.

Por isto desejo a todos um ano de 2011 duas vezes melhor que 2010 e que vocês aproveitem ele como se fosse o último de vocês. Isto vale também para quem não acredita no fim em 2012. 🙂

Comentários (2)

Novos cursos SEO e Google Analytics

Estamos com um curso de Google Analytics com foco em SEO e links patrocinados. Este curso é presencial e será no Rio de Janeiro. A idéia é ensinar o Google Analytics, porém aproveitando seus recursos ao máximo para o marketing de busca. Muita gente acaba instalando o Google Analytics e não utiliza nem um terço dos recursos disponíveis para aumentar e melhorar a receita e o tráfego do site.

O curso SEO também tem novas turmas. Serão em São Paulo e no Rio de Janeiro. As inscrições estão abertas. Ainda este ano teremos novos cursos.

Comentários (14)

O PageRank como estratégia para um projeto SEO

Neste último feriado de páscoa, tivemos mais uma atualização de PageRank. É a primeira atualização após o diretor de pesquisa do Google, Peter Norvig falar que o PageRank está super valorizado durante o SMX West. Eu concordo com o que ele disse. Ainda existe gente que acha que se seu site tiver PageRank 10, irá rankear para tudo ou que seu site “PR n” não tem como perder para um site “PR n-2”. Por outro lado, ignorar simplesmente o PageRank pode ser um tiro no pé. O PageRank é um dos diversos fatores que envolvem SEO de um site. Fora que ele pode ser um indicador importante para trabalhar um projeto de SEO.

Antes de continuar é importante deixar claro que existe uma grande diferença em PageRank e o PageRank Toolbar. O PageRank Toolbar só é atualizado de três em três meses aproximadamente. Então ele acaba ficando defasado com relação ao PageRank real, além de ter alguns bugs também. Mas como não temos acesso ao PageRank Real, assim que temos uma mudança no PageRank da Toolbar é possível ver o resultado do trabalho de um link build ou saber se o juice funcionou adequadamente. Não pretendo escrever todos os impactos que o PageRank pode ter em um projeto de SEO, mas vou listar alguns itens que são influenciados pelo PageRank:

– Descobrir se um site foi punido
Se o site tiver sofrido uma queda muito grande no valor do PageRank, pode ser um indicador para uma punição por parte do Google. Para entender melhor, veja sobre queda de PageRank.

– Profundidade que o Robô consegue indexar.
Sites com muitas páginas nem sempre conseguem indexar todas. Quanto maior o PageRank distribuído entre as páginas, mais fundo o Robô conseguirá chegar e consequentemente mais páginas serão indexadas. Veja esta entrevista do Matt Cutts de Março de 2010.

– Aumentar taxa de “crawleamento”
Visitação do GoogleBot é propocional ao PageRank. Claro que tem outros fatores, mas o PR é um deles.

Existem outros impactos do PageRank, mas fica para a próxima. Mesmo depois destas considerações eu repito, não se preocupe tanto com a atualização do PageRank.  Continue fazendo um bom trabalho, porém pode ser um erro simplesmente ignorá-lo.

Comentários (34)

Google anuncia no AdWords com a palavra-chave SEO

Um dos trabalhos do profissional de busca é monitorar palavras-chave. Tenho a oportunidade de ver coisas novas e curiosidades como gente que vende a mãe ou um rim em links patrocinados . Uma coisa interessante e muito comum é ver o Google competindo com links patrocinados em algumas áreas. Acredito que a tendência é só aumentar. O Google já recebeu críticas sobre isto, mas colocou sua posição sobre usar o AdWords em benefício de seus produtos. Nunca ouvi ou li de alguém reclamar abertamente disto no Brasil, (bem, alguns clientes reclamam), mas lembro que no Reino Unido teve um burburinho sobre o Google usando formatos especiais em benefício próprio. Tem um caso até mais famoso que foi o filme do Jason Bourne hospedado pelo Google www.google.com/bourne em que a SERP era modificada para levar os usuários para a promoção e acabava empurrando para baixo competidores. O mais comum é o Google vender seus produtos com palavras como calendário blog, sendo que este último no momento tem dois anúncios de produtos do Google empurrando um competidor para terceiro.

Eu não acho que tem problema o Google anunciar na sua própria rede, mas o problema está na forma. É importante entender que o Google é um veículo e os veículos online usam suas redes de publicidade para anunciar seus próprios produtos. O problema para mim está na forma como o Google compete. Ao anunciar seus produtos, o Google cria concorrência direta, ainda mais em um país em que tem um share de 95% das buscas. Além disto, o Google ainda paga para ele mesmo a publicidade, o que gera um loop infinito que nenhum competidor conseguiria vencer.Mas o meu ponto ao escrever o artigo é que nem sempre os anúncios são relevantes. O próprio Matt Cutts já criticou a própria empresa por criar tais anúncios. E o exemplo  genérico que usarei e a palavra-chave SEO. Tanto na rede de conteúdo como na rede de pesquisa o Google tem anunciado fortemente o AdWords usando muitos termos e o SEO é um deles como você pode ver no print abaixo.

Google anunciando na palavra-chave SEO

Você pode até entender que por ser uma palavra de cabeça é aceitável a perda do Quality Score, mas na busca “curso de otimização de sites” retorna também o anúncio de Adwords. Até para “seo com animais” o Google retorna oferta de AdWords (se não entendeu a piada, leia o post sobre a intenção de quem procura SEO. Imaginem se você digitasse qualquer termo e aparecesse um anúncio oferecendo AdWords? Seria relevante?

A idéia deste artigo não é comprar briga com o Google, até por que a pancada que receberei será grande, mas de alertar sobre algo que acontece e pode ser corrigido. Mesmo sendo um veículo, o Google não pode esquecer do seu foco que é a busca relevante. Tornar irrelevante seus resultados patrocinados não me parece ser a intenção do Google.

Comentários (19)

O conto do sobrinho SEO

Era uma vez uma pequena empresa. Esta pequena empresa escuta de alguém que aparecer no Google traz muitas vendas. Ela já recebia alguns pedidos pela internet e decide arriscar. Ela então procura profissionais especializados em busca para ajudá-la a conseguir aparecer no Google. Ela descobre o SEO. A pequena empresa solicita propostas de várias empresas, inclusive a minha. Ela percebe que os preços de cada uma são muito diferentes. Mesmo vendo que algumas empresas têm resultados comprovados e melhores, ela me agradece pela ajuda e decide fechar com a consultoria SEO que cobrou menos. A consultoria SEO escolhida pela pequena empresa faz uma série de promessas de conseguir em pouco tempo a primeira página no Google, só não pode explicar como vai fazer isto. A única exigência da consultoria é que a pequena empresa coloque um link para seu site no rodapé.

Depois de dois meses realmente os resultados começam a aparecer. Só não são nas principais palavras-chave que a pequena empresa queria. A consultoria SEO explica que sua promessa era a primeira página e como já tinha conseguido uma palavra, já havia cumprido o prometido. De qualquer maneira, começava a aumentar a quantidade de vendas e os pedidos passam a vir de todo Brasil. Estes novos pedidos permitiram contratar mais funcionários para atender a demanda atual e a esperada para quando os resultados no Google melhorassem.

Porém a consultoria SEO passou a não responder os e-mails com dúvidas. Alguns resultados haviam caído. A pequena empresa continuou a tentativa de contatos, mas a consultoria já não dava a mesma atenção. Passado mais de um mês de tentativas de contato e os resultados caindo, a pequena empresa entra em contato informando que não vai continuar o contrato. A consultoria SEO então decide, antes mesmo de responder a pequena empresa, entrar no site da empresa e bloquear o robots.txt, retirar todos os links apontando e ainda colocam código oculto dentro do site. A empresa some do Google.

Os donos da pequena empresa ficam desesperados e sem saber como resolver a situação, pois suas vendas praticamente zeraram e seus funcionários terão que ser demitidos pela falta de clientes. Como último recurso eles procuram o sobrinho SEO e conseguem resposta, mas ele sugere que a pequena empresa tem que pagar todo o restante do contrato se quiser voltar ao Google na hora. Já não confiando na resposta do sobrinho SEO, que nós sabemos que esta mentindo de novo, eles decidem procurar ajuda.

A pequena empresa entra em contato com todas as empresas que ela cotou e mais algumas na esperança de encontrar a solução para o problema. Irritado com o fato de mais uma história de gente estragando o mercado de SEO, decido dar uma ajuda básica para a empresa (não dê consultoria gratuita, relógio é que trabalha de graça). Converso com eles e explico que aquilo não é o retrato de todos os profissionais do mercado, falo que eles precisam de uma consultoria para ajudá-los e passo uma orientação básica para que eles tirem a punição e o bloqueio do site. A pequena empresa agradece e se diz arrependida de não ter feito o trabalho comigo desde o início. Falam que realmente o barato saiu caro e eu respondo que existem várias empresas boas além de mim e que eles devem ver o trabalho delas também. Despeço-me e fico novamente estarrecido com esta nova história.

A história acima é ficcional, porém foi baseada em fatos reais. Já ouvi muitas histórias de clientes, alunos do curso e vários amigos, sendo que algumas são até mais absurdas que esta. Será que tais pessoas não pensam que estão praticamente roubando dinheiro? Digamos que ele não fez “por mal” (exagero né?), então será que você deve oferecer um serviço se você não tem um real conhecimento da sua área? Será que é difícil entender que saber SEO é muito diferente de fazer SEO? Até se o cliente tiver cometido um erro como não pagar ou tiver mentido, justifica você destruir a receita da empresa. O mercado já amadureceu e não permite iniciantes com promessas. Se não sabe SEO, não desce pro play.

Comentários (30)

página anterior · próxima página