A publicidade segundo o Google

Abrindo o evento da Info Marketing de Busca, Alexandre Hohagen, que é o atual presidente do Google Brasil, começou perguntando para o publico quem era de marketing e quem é de tecnologia e depois perguntou se o público preferia uma palestra introdutória de AdWords ou uma palestra avançada mostrando cases. Só uma pessoa respondeu  palestra introdutória e ele fez uma brincadeira com a menina falando que depois ligava para ela explicando AdWords para ela. Claro que o publico com certeza prefere algo mais avançado. O assunto eram os links patrocinados. Na opinião dele, os links patrocinados servem para atender a necessidade de uma pessoa. Falou dos locais de momento de relevância.

Falou que existem sete melhores práticas.

A primeira é “always on”. Tem que estar preparado. Falou que são quase 1.600.000 mil buscas relacionadas somente a turismo. Mostrou palavras-chave de turismo comparadas pelo Google Trends.

A segunda prática e prepare-se online para o que acontece no offline. Assim você garante que estará preparado. Citou o Google Trends comparando Big Brother e Rafinha, Tropa de Elite com cinema. Ambos têm comportamento sazonal. Comparou animais como cachorro, peixe, gato e mostrou que os peixes tem um crescimento sazonal no período da semana santa.

Terceira é: não espere que seus consumidores venham. Nesta prática, ele mostra um exemplo de  uso dos gadgets, Mostrou um Gadget da American Airlines, para marcar viagens.

A quarta é: faça dos vídeos um dos formatos centrais de sua estratégia online. Falou sobre dois vídeos virais como o do Ronaldinho e o Dove evolution. Mostrou também os canais patrocinados do YouTube com o exemplo da Schin com o vídeo do comercial em um canal.

Quinta pratica é: crie oportunidades para o consumidor escolher você. Mostrou o iGoogle e sua personalização que permite também Gadgets com Mashups como o da Nike que serve para encontrar lugares de corrida em diferentes cidades do mundo.

Sexta prática é use a sabedoria popular para gerar inovação e criatividade. Como exemplo citou um lançamento da Fiat que recebeu mais de 15.000 sugestões de design de um novo carro. Citou também um caso do Mastercard em que usuários deveriam postar no YouTube vídeos que seriam priceless (não tem preço).

Sétima prática é esteja onde seus consumidores estão em momentos de relevância. Mostrou um dado que os usuários do Google não ficam mais de 5% dentro das páginas de busca.  O objetivo do Google é que os usuários fiquem o menor tempo possível dentro de sua busca, pois o objetivo é ajudar o usuário onde ele quer chegar.

Simulou um comportamento de desejo de compra de um usuário. Finalizadas as sete práticas, mostrou dois cases montados em parceria no mercado americano. O primeiro foi com a Unilever em que o objetivo era avaliar três partes: o impacto nas vendas, impacto de branding e o comportamento online, Usaram diferentes tipos de display como vídeos, banner e anúncios de texto. O resultado com a combinação de rede de conteúdo e de pesquisa aumentou o branding, as compras offline e o aumento de tráfego no site. Falou que no case, para cada um dólar gasto no Google, os usuários gastaram aproximadamente 1,44 dólares de incremento nas compras. Este teste proporcionou aumentou em 45% de gastos com a marca Ultimate Clear e teve 313% aumento de visita do site da Dove.

O segundo caso é sobre o impacto do offline no ambiente online. Era o caso do Pontiac que fez uma publicidade na TV e no fim do anúncio ele indicavam para o usuário a procurar pelo termo Pontiac no Google. No momento que o comercial foi ao ar, houve um pico de visitas. O volume de pesquisa por hora aumentou também sensivelmente. Falou que não dá para desvincular o que acontece no meio offline para o que acontece no online.

8 Comentários »

  1. Portfolio web designer

    April 29, 2008 @ 6:53 pm

    Mudando um pouco o assunto do post, qual foi sua avaliação do evento realizado pela Info

  2. Cristina Dissat

    May 2, 2008 @ 7:47 pm

    Oi Paulo, estou procurando ler suas sugestões de links sobre o evento. Vc mencionou sobre a velocidade que as pessoas deveriam ficar nos sites de busca. Aproveitando esse comentário, vc saberia dizer qual o percentual de robots que entram nos sites e se isso contabiliza de forma significativa a taxa de rejeição que aparece no google analytics? Abs,

  3. Jorge Gaullier

    May 12, 2008 @ 3:38 pm

    Gostaria de saber, tenho muita dificuldade em falar com departamento de Marketing e ou comercial. Como devo proceder para comunicar-me com Google

  4. Felipe Moreira

    May 17, 2008 @ 1:55 am

    O google esta muito variado por estes dias
    oscilando demais!
    alterando de posicionamento constantemente
    algo esta acontecendo

  5. Ruben Zevallos Jr.

    June 30, 2008 @ 1:26 pm

    Ainda não entendi muito bem essa do Google Trends… e marketing é muito mais que somente um banner… lembro de campanhas on-line e off-line que fizemos e os resultados foram muito interessantes… nem todos estão on-line e muito menos atentos aos seus anúncios, mas se alguém recomenda… a coisa acontece.

  6. WB4B - Negócios Online » 7 melhores práticas segundo o Google

    November 20, 2008 @ 4:06 pm

    […] Artigo com referência em: http://www.marketingdebusca.com.br/a-publicidade-segundo-o-google/ […]

  7. Dinheiro

    December 16, 2008 @ 11:40 am

    É interessante notar que os vídeos estão se tornando um poderoso meio de marketing viral na Internet. Quem souber usar bem, vai colher resultados!

    Dani Edson

  8. london estate agents

    October 4, 2010 @ 5:16 pm

    artigo legal

TrackBack URI

Comente