Arquivos de September, 2009

Campanha eleitoral permite SEO

A recente guerra sobre a regulamentação do marketing político na internet independente do final sempre teve uma certeza. O SEO é uma estatégia que pode ser usada para ajudar um político em sua campanha eleitoral. Diferente dos links patrocinados que são pagos e considerados publicidade, o SEO pode ser usada normalmente como ferramenta de propaganda. Mas as vantagens sobre os outros meios não param por aí. O discurso político sempre foi muito voltado apenas para ações pontuais como distribuição de camisetas e brindes. Com a campanha do Obama para a presidência dos Estados Unidos, a história da política mudou significativamente pois agora todos buscam uma campanha online de social media parecida com ela. Isto exige mais complexidade e estratégia.

Uma das vantagens de SEO é que mesmo sem contar com grandes verbas que apenas grandes políticos podem arcar, com SEO é possível que qualquer político mesmo um deputado estadual ou até um vereador alcance resultados sem investimentos irreais. Outra vantagem é até aqueles políticos que tem poucos segundos para falar na TV podem usar a web para expandir sua voz e idéias e podendo mostrar o seu discurso. Agora imagine um político que não aparece no Google com seu slogan? E pior, imagine outro candidato aparecendo em seu lugar? Acreditem mas tem candidatos no Brasil que nem pelo nome aparecem.

SEO não é apenas para os candidatos. O marketing político online deve fazer parte também dos partidos políticos. Eles podem criar estratégias para ajudar todos os seus candidatos a terem melhores resultados no Google. Isto normalmente é ignorado e pode ser um grande diferencial com a grande representatividade que os partidos tem. Se um candidato percebe que o seu partido não faz SEO, ele pode exigir para sua campanha eleitoral e conseguir mais diferencial ainda. O impacto pode ser não só no país, mas segmentados por estado ou município.

Os eleitores usam hoje a web como nunca foi antes. Ignorar o canal só vai abrir espaço para outros e em uma campanha eleitoral não tem espaço para deixar furo. O SEO aparece como uma forma de vencer a concorrência pelas palavras que os eleitores irão procurar para chegar a uma decisão de voto. Se você o político não aparece, como os eleitores  vão votar nele? O político honesto precisa ser encontrado.

Comentários (24)

Onde está o Paulo?

Achar o Wally está mais fácil que me achar, mas não tenho do que reclamar. Segue um resumo das próximas semanas.

Esta semana estarei dando um treinamento de SEO em São Paulo para o iMasters PRO. Ainda dá tempo de se inscrever.

Estarei em Minas Gerais no dia  26 de setembro para o EDTED e em 24 de outubro em Salvador.

Também teremos o curso de links patrocinados nos dias 3 e 4 de outubro e  o curso de SEO no RJ nos dias 17 e 18 de Outubro.

E eu não esqueci do evento de SEO que estava prometido. Ele é um dos motivos da falta de tempo. Aguardem!

Comentários (6)

Google SEO – otimização com foco

Recentemente saiu um estudo da comscore com o que todos já imaginavam. O Google monopoliza praticamente 90% do mercado de busca brasileiro. Outros estudos anteriores mostraram números bem próximos e quem trabalha com SEO e tem um web analtytics instalado sabe a porcentagem de tráfego que o Google normalmente traz em relação ao seus concorrentes.  A diferença é sensível. Mas quais impactos isto teria para SEO?

Como escrevi no artigo do Bing, existem diferenças entre os algoritmos dos sites de busca. Os critérios de rankeamento do Google são diferentes dos critérios do Yahoo! e do Bing. Claro que eles tem critérios em comum e outros parecidos, mas até por trazerem resultados diferentes, seus critérios obrigatoriamente são diferentes. Existem fatores na decisão da escolha do site de busca como preferêrencia pessoal ou tempo de uso, mas os critérios “melhores resultados” e “busca padrão do navegador” são os que mais influenciam. E no Brasil em especial temos praticamente todos os portais usando a sistema do Google para suas buscas, aumentando ainda mais o share. Com estes dados, não seria interessante focar no Google já que o ganho de uma posição compensaria um perda de cinco posições no Bing? Não existe resposta certa, mas entre ter a chance de impactar 90% dos usuários de busca contra outros 10%, a maioria escolheria a primeira. Um detalhe importante é que a os 90% não são excludentes ao 10%.  Nada impede de você conseguir ficar em primeiro no Google, Bing e Yahoo ao mesmo tempo. Então existe espaço para um Google SEO? Uma estratégia para posicionar melhor no Google em relação ao seus algoritmos? Faz sentido.

Meu foco de ensino e de aprendizagem de SEO sempre foi no usuário e continua sendo. A base para um bom profissional deve ser sempre em atender a necessidade de um visitante. Quem começa SEO apenas pela parte técnica acaba cometendo erros básicos como escolha errada de foco ou estratégia mal planejada. Em contra partida, a escolha de foco no usuário garante que por mais que mudem os algoritmos, o impacto em seus posicionamentos será mínimo. Só existem um porém. Em mercados muito competitivos, a diferença de uma posição para determinada palavra-chave pode ser a diferença entre trazer o dobro de tráfego. Neste momento o conhecimento técnico do algoritmo é o diferencial para conseguir a vantagem para alcançar o resultado esperado. Continuo afirmando que o foco é no usuário, mas o entendimento destas diferenças não pode ser ignorado. Um profissional completo precisa ter também este conhecimento.

Comentários (13)